Construção civil demonstra queda no valor do metro quadrado no final de 2017

Segundo o Sinapi– Índice Nacional da Construção Civil – anunciado no dia 10 de janeiro de 2018 pelo IBGE – Instituto Nacional de Geografia e Estatística -, houve uma alta de negócios no total acumulado durtante o ano passado, atingindo a casa dos 3,82%. Esse retrospecto positivo, de acordo com o índice, é o melhor desde 2013, onde a alta foi de 0,52%, que teve uma forte influência de fatores da desoneração diretamente nas folhas de pagamento naquela ocasião. A variação entre novembro e dezembro do ano passado foi de 0,18%, um percentual menor do que os 0,49% em comparação com o mesmo período entre meses em 2016.

Devido a isso, os custos envolvendo a média por metro quadrado relacionado com a construção civil atingiu a casa dos R$ 1.064,76 em dezembro do ano passado, levando em conta que R$ 544,97 são custos com materiais e R$ 521,71 é o valor cobrado pela mão de obra. A quantidade relacionada com os gastos da mão de obra é devido ao retrospecto positivo no final do ano passado. A indústria da construção civil apresentou uma alta de 5,17%, com uma das menores taxas relacionada a este grupo desde 2013. Desde 2013, a variação mais baixa havia sido de 7,55% em 2015, sendo que em 2017 foi de 10,89%.

“Foi a mão de obra a responsável pelo resultado. Os ganhos nos acordos coletivos foram inferiores em relação aos anos anteriores. Isso foi o que realmente impactou nessa desaceleração da taxa. Todos os estados tiveram uma desaceleração na mão de obra em relação a 2016, com exceção do Amapá”, explica Augusto Oliveira, gerente da pesquisa.

No mês de dezembro do ano passado, a queda que ocorreu no preço dos materiais de construção civil foi de grande impacto para que o índice ficasse em 0,18%, sendo essa a terceira menor taxa ocorrida no ano passado, e ficou atrás somente da taxa alcançada no mês de abril do ano passado, que fechou o mês em 0,15%, e a do mês de outubro do ano passado, que encerrou o mês em 0,16%.