Raiva uma doença que mata

Resultado de imagem para vacina raiva humanos

A vacinação é o método mais eficaz de prevenção da doença.Em agosto se inicia a vacinação contra a raiva, que mata rapidamente os animais atingidos. Devemos levar nossos animais para ser vacinados, garantindo também a proteção da família.

A raiva é uma doença infeciosa aguda que é causada por um vírus que compromete o sistema nervoso central. “Os cães e gatos podem contrair a doença pelo contato com ratos ou morcegos, e uma vez infectados, podem facilmente transmiti-las aos humanos pela saliva e até por arranhões, sendo a mordida a forma mais comum de transmissão”, explica Daniela Baccarin, médica veterinária membro da COMAC – Comissão de Animais de Companhia, do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal.A doença não tem cura e pode levar a morte do animal ou humano em menos de 7 dias, Daniela explica que: “Nos animais, provoca comportamento agressivo, dilatação das pupilas, hipersalivação, dificuldade para engolir, irritação, alteração na forma de andar naturalmente, contrações musculares faciais e paralisia de membros”. Pelo fato de não existir tratamento, a única forma de prevenção é através da vacinação periódica. “A recomendação é que os animais sejam vacinados anualmente contra a doença, a partir do quarto mês de vida, e que estejam saudáveis aos serem vacinados, para que a imunização seja feita” orienta Daniela.

Em humanos elas causam transformação de caráter, inquietude, pertubação do sono, sonhos tenebrosos, alteração na sensibilidade, queimação, formigamento e dor no local em que recebeu a mordida, e duram de 2 a 4 dias. O quadro se agrava com alucinações, febre iniciando o estado da doença que dura 2 ou 3 dias. Após isso, a pessoa terá medo de correntes de ar e água e surgem as crises convulsivas periodicamente.

No Brasil os índices da doença são baixos, devido as ações de conscientização sobre a importância de prevenir, controlar os transmissores, sobre a vacina, à vigilância epidemiológica e sobre os procedimentos de defesa sanitária. Mesmo assim, é importante o cuidado com locais que possam abrigar ratos, morcegos e outros animais que possam estar infectados e consequentemente transmitir a raiva principalmente em zonas rurais.

É de extrema importância que os donos dos pets levem seus animais regularmente ao veterinário e mantenha a vacinação em dia e se observarem algum comportamento diferente que consulte um especialista.

A raiva é endêmica no Brasil, onde seu grau é diferenciado pela região geopolítica. Entre os anos de 1980 e 2012 houve 1,4 mil registro de raiva humana no Brasil e 54% foi no Nordeste, 19% no Norte, 16% no sudeste, 9% no Centro-oeste e 3% no Sul. Vale ressaltar que em 2004 e 2005 houve um surto de ocorrência de raiva humana nos estados no Para e Maranhão e o principal responsável pelos casos foi o morcego.