Quando a preguiça pode ser um sinal de depressão

São duas coisas que podem ser facilmente confundidas, e os médicos Daniel Barros, consultor psiquiátrico, e Maitê Lourenço, psicóloga, explicam as diferenças.

A depressão é uma doença que faz com que a pessoa não veja graça em fazer nada, o que é uma coisa boa fica indiferente, e o indiferente fica ruim e uma coisa que antes era ruim se torna intolerável. Isso acontece porque a doença altera o entendimento sobre as coisas.

A preguiça surge devido a outros fatores, se a pessoa é calma parece preguiçosa, e necessita de descanso, possui distúrbio do sono e problemas de tiroide.

O ciclo da depressão é repetitivo, a pessoa não faz nada e não tem vontade de nada. Pra interromper esse ciclo é necessário fazer sempre um pouquinho gradualmente, mesmo sem sentir vontade. A vontade é uma importante quebra do ciclo.

O excesso de atividade também pode ser uma causa de depressão, e para que a pessoa consiga olhar a própria rotina e entender se tudo está indo bem, os médicos recomendam uma técnica simples que ajuda no diagnostico e no tratamento, um quadro de atividades.

Esse quadro funciona como uma agenda de tudo que a pessoa faz semanalmente, e a partir daí tentar criar um equilíbrio das atividades que trazem prazer das obrigações.

Na avaliação final se houver mais obrigações do que atividade prazerosa deve ser feito alterações, colocando atividades que dão prazer e descontração e menos obrigações.

Em algum momento do dia, todos nós sentimos aquela preguiça boa, uma moleza no final do dia de trabalho, ou de ir a praia ou de uma festa com amigos. Essa vontade de ficar a toa é normal e saudável.

A lentificação e falta de energia que são causadas pela depressão é diferente, não sendo uma escolha da pessoa. No caso da preguiça, a pessoa usa a seu favor aquele momento de descanso, diferente de quem luta para sair da cama por causa de uma depressão e não possuem nenhum recurso estratégico que os ajude a dar conta do abatimento.

É sempre bom procurar um médico em caso de dúvida, a depressão pode levar a morte e precisa de tratamento.