Planos de ação estão sendo elaborados para prevenir as cheias no Amazonas

Com alguns municípios em estado de alerta, o Amazonas está se preparando para o caso de o estado atravessar situações difíceis com as grandes inundações. A Defesa Civil Estadual e o Serviço Geológico do Brasil, estão trabalhando em conjunto, promovendo principalmente o monitoramento dos locais de maior incidência das cheias. O governador também está participando dos debates e destaca, que não há ainda, uma estimativa do quanto os rios vão subir, mas é necessário que medidas preventivas sejam tomadas.

Se as chuvas forem constantes, pode haver uma grande enchente no estado do Amazonas, podendo alcançar quase toda a Bacia Amazônica, já que o Rio Purus está bem cheio e os outros rios, que são o Juruá e o Alto Solimões, estão com as suas águas, acima do volume normal. Somente o Rio Madeira, está com o seu volume regular, declarou o governador.

Com chuvas que podem ser mais fortes esse ano, para essa época no estado e também o volume de águas crescendo em alguns rios, podem significar indícios de uma grande enchente, disse o governador. Se continuarem os volumes de água atuais, a probabilidade de termos não somente uma cheia, mais uma enchente bastante duradoura, causando uma devastação na natureza bem grande e problemas também no setor da saúde. É por essa razão que é necessário que forças se unam no estado, como no caso da Defesa Civil e o Serviço Geológico do Brasil, que possuem experiência e estão analisando todas as possibilidades, para que medidas preventivas estejam traçadas caso venha a acontecer, e estar prontos para o auxílio das famílias ribeirinhas.

No entanto, mesmo com todos os indícios de inundações, as previsões mais corretas só devem ser confirmadas nos próximos meses para o estado, quando o Serviço Geológico do Brasil irá comunicar os primeiros relatórios de alerta. As indicações de cheia tanto no Rio Amazonas, na parte que se encontra no Peru, quanto no canal central, está demonstrando indícios de que vai ser uma cheia de grandes proporções, mas a intensidade dela só poderemos saber ao certo dentro de alguns meses.

Algumas cidades do Amazonas estão sofrendo com as cheias, esse é o caso de Guajará e Ipixuna, que estão localizadas na calha do Juruá, e que declararam  estado de emergência , com cerca de 2,5 mil famílias atingidas pelas enchentes. Guajará já obteve ajuda humanitária e a cidade de Ipixuna também pediu essa ajuda.

Estão trabalhando também em conjunto, os governos estaduais e federais, visitando essas cidades que decretaram estado de emergência, e planos detalhados estão sendo elaborados para as outras cidades que não apresentam essa situação de cheia, mas que estão em estado de alerta.

As cidades que se encontram em estado de alerta, com probabilidade de que o quadro tenha uma evolução para o estado de emergência, são as cidades de Carauari, Juruá, Envira, Itamarati e Eirunepé.