Fungos e bactérias dentro dos veículos podem chegar a 10 mil

Uma análise feita pela Universidade de Campinas, a UNICAMP, mostrou que as partes internas de 26 veículos de passeio apresentavam micro-organismos que podem causar disenteria e convulsões.

Algumas atividades como espirrar, coçar os cabelos e se alimentar no interior do veículo, são algumas ações comuns que as pessoas têm e são nocivas a saúde. A pesquisa foi realizada no interior de 76 veículos e todos apresentaram contaminação de aproximadamente dez mil bactérias e fungos. Essas bactérias e fungos encontrados podem causar rinites, micoses, infecções de urina e pulmonares principalmente em bebês e crianças.

A Faculdade de Biomedicina da Devry Metrocamp em Campinas, analisou 26 veículos de passeio e a pesquisadora e bióloga, Rosana Siqueira, diz que é preciso reduzir essa quantidade de micro-organismos que algumas higienizações não minimizam.

Durante cinco meses, Adriana Oliveira e Helton Silva, pesquisadores, fizeram um acompanhamento com amostras colhidas nos veículos. Foram 26 amostras retiradas de colantes, câmbios, bancos e cadeirinhas de bebê.

Nos itens infantis, foi encontrado a bactéria patogênica, a Shigella, que possui um risco muito grande de causar infecções intestinais, acompanhadas de dores, ulcerações das mucosas e diarreia que afeta pessoas com baixa imunidade e pessoas saudáveis também.

Outra bactéria encontrada, foi a Klebsiella pneumoniase, que vem se tornando uma superbactéria.

Outro grupo de risco, além das crianças são as gestantes e os idosos. Pessoas doentes que estão fazendo algum tipo de tratamento intensivo de saúde se expostos a essas bactérias oportunistas podem ser facilmente afetadas, devido a suas fragilidades.

Nos volantes, foi o local com contaminação relacionada à higiene das mãos. As lixeirinhas que ficam presas no câmbio devem ser trocadas diariamente, pois devido ao calor no interior do carro os micro-organismos têm uma proliferação acelerada, assim como a umidade causa o mesmo efeito.

As bactérias e fungos se fixam nos materiais internos do carro, e causam mau cheiro como o de mofo.

Manter o carro limpo não é somente trocar o filtro do ar-condicionado ou da lavagem simples, o ideal é higienizar uma vez a cada sete dias com o aspirador de pó, recomenda a coordenadora da pesquisa. Um pano úmido próprio para limpeza interna do veículo também é recomendado. No caso das cadeirinhas dos bebês, recomenda-se que o tecido seja lavado frequentemente.