Estudo mostra que o cérebro tende a ignorar informações em situações de stress

A revista Frontiers in Behavioral Neuroscience reportou recentemente um estudo que mostra que em situações de pressão, como num jogo ou situações estressantes, o cérebro tende a se focar na tarefa principal e deixar de lado outras informações periféricas, como por exemplo, a redução da Inteligência dimensional, percepção de passagem de tempo e de objetos externos.

Os autores do estudo disseram que se motivaram para realizar essa pesquisa por causa de uma sensação que todos os participantes do projeto já tiveram em algum momento da vida. Que é notar como o cérebro deixa de lado as situações irrelevantes para conseguir se mergulhar na tarefa principal. Talvez seja a explicação do porque muitos jovens não perceberem a passagem de tempo na frente de jogos.

Eles realizaram testes tentando verificar a percepção das pessoas em situações de stress num contexto mais espacial ou sequencial. Um dos experimentos contou com 13 voluntários, dentre eles, 6 mulheres e 7 homens, todos com aproximadamente 30 anos de idade. Os participantes assistiram a dois tapes de sexo, uma cena de teor negativo e outra positiva, além disso, viram um vídeo neutro.

Esse teste notou que nas cenas sexo, seja com teor negativo de violência ou o positivo, os voluntários não foram capazes de lembrar a localização de objetos e nem a ordem dos acontecimentos. O mesmo não aconteceu na cena neutra. Eles entenderam que em estados de excitação esse comportamento cognitivo é necessário para aumentar a chance de sobrevivência.

De acordo com Vladimir Melo, mestre em psicologia, esse trabalho por ser comparado com outras pesquisas que avaliam como as pessoas reagem a situações adversas. Ele destaca que esse tipo de comportamento pode ser verificado inclusive nos animais.

Como a pesquisa não teve intuito de analisar a atividade neural, os autores não puderam chegar numa conclusão biologia sobre esse comportamento, mas eles noticiaram alguma suspeitas. Eles disseram que a resposta pode estar no hipocampo do cérebro, local relacionado à memória. Segundo eles, em situações de stress, as memórias de longo prazo não possuem contexto e nem os detalhes periféricos codificados no hipocampo, e essas informações são necessários para o indivíduo se situar no tempo e no espaço.