Como tem evoluído o empreendedorismo digital no Brasil

Quais as novas profissões do mundo digital? Como aproveitar a tecnologia para multiplicar os lucros? Um grupo de brasileiros empreendedores podem responder a essas perguntas, e mostrar para todos os empreendedores e para aqueles que almejam ser, os caminhos digitais para um bom negócio.

Quem tem mais de 30 anos, irá se lembrar de um jogo chamado “Game Boy”. Também já ouviu muita música gravada em fitas cassete. Agora os aparelhos são outros, bem mais sofisticados e modernos. Na mesa de trabalho, o analista de sistemas Daniel Bordini, abriu uma loja “dentro” do computador. Ele importa da China capas de celulares com temas antigos, como o tema “Game Boy” e fita cassete, e vende pelas redes sociais. Começou há pouco tempo e já está cheio de encomendas. Ele espera o dia que a moda vai virar febre, e ele vai vender muito mais.

“Espero criar mais anúncios nas redes sociais para alavancar cada vez mais. As redes sociais têm milhões de pessoas e sempre tem alguém querendo um produto diferenciado”, diz Daniel. A aposta de vender pela internet precisou de menos investimento e atinge um público muito maior do que se ele abrisse uma loja física em qualquer região.

Uma loja em que não se paga aluguel, que o empreendedor não precisa enfrentar trânsito para ir trabalhar, na verdade ele não precisa nem sair de casa em um dia chuvoso e frio. Mas principalmente, por ter um público que cresce e compra até no feriado, as compras podem ser realizadas 24 horas por dia, 7 dias por semana e em qualquer país ou região do planeta que se esteja conectado. Muitos empresários já descobriram que esse tipo de loja é virtual sim, mas gera uma receita muito grande se souber administrar essa grande possibilidade de negócio.

Tem muita gente de olho nessa chance. O empresário de e-commerce, Rafael Barbolo, abriu uma empresa que ajuda a desenvolver negócios eletrônicos (e-commerce/startup). Ele tinha 5 clientes no começo, um mês depois 100 clientes e hoje em dia, Rafael tem mais de 2000 mil clientes e o valor total das vendas dobra toda semana. Todo mundo está muito feliz, principalmente porque ninguém paga nada para usar a plataforma que ele oferece para vender nas redes sociais.

“Nós gostamos muito de dinheiro, mas nós acreditamos que o poder da internet para crescer, quando você oferece uma solução gratuita, é muito grande. Então nós optamos por fazer totalmente gratuito agora e pensar em ganhar grandes quantidades de dinheiro a médio e longo prazo como já vem acontecendo”, diz Rafael.

As empresárias Valéria Drummond e Viviane Rosa, usam essas ferramentas. Elas fabricam sapatos e acessórios artesanais e exclusivos. Todas as peças têm foto na página da internet, que já recebeu 2000 visitas em um único dia. “Pra nós de certa forma é gratuito, eu não tenho gastos com isso. É o marketing que se faz por si só”, diz Viviane.

Elas já são experientes no e-commerce. Ainda mantêm uma loja física em um shopping, mas garantem que nos primeiros 4 meses de loja e-commerce, a diferença no aumento dos lucros foi grande. “Nós percebemos que a venda gerada pela internet, cresce com uma velocidade muito grande”, diz Valéria.

Atualmente, mais de 80 milhões de brasileiros tem acesso à internet através de um tablet, notebook ou smartphone. O Brasil só fica atrás dos Estados Unidos e China com relação ao número de usuários online. É um mercado com grandes perspectivas de empreendedorismo.

Saiba mais sobre empreendedorismo digital.