Bebês já nascem falando, revela estudo

Uma pesquisa inovadora realizada pela Dra. Jiyoun Choi, mostrou um grande desempenho entre indivíduos adultos sul-coreanos que foram adotados quando ainda eram bebês por casais holandeses, em relação ao desenvolvimento e a pronúncia da língua natal após terem recebido treinamento para aprender a língua.

Segundo a pesquisa, os bebês começam a adquirir o conhecimento linguístico ainda dentro do útero e no período de alguns meses depois do parto, onde conseguem ter as primeiras percepções da língua natal. Com isso, ainda que um indivíduo sendo jovem mude para um outro país e esqueça sua língua nativa, poderá facilmente em um período curto de tempo voltar a falar a mesma sem grande dificuldade.

A Dra. Jiyoun Choi que é da Universidade Hanyang, situada na Coreia do Sul, explica que o estudo realizado é pioneiro ao mostrar o grau de envolvimento que a criança tem desde antes de nascer com a língua materna, e além disso, o quanto isso beneficia uma pessoa que perdeu o contato com a sua língua nativa a poder voltar a desenvolve-la novamente, como é o caso de crianças que são adotadas e pessoas que mudam para outro país.

Em entrevista à BBC News, a Dra. Jiyoun Choi explicou que a descoberta tirada da pesquisa, indica que o armazenamento de todo o conhecimento que é adquirido da linguagem, consiste quando a pessoa ainda é bebê. Ainda mais importante é que o estudo revela a preservação desse conhecimento em cada indivíduo, podendo ele reaprender a sua língua materna mais facilmente.

Para a realização da pesquisa, foram estudados adultos sul-coreanos que tinham idade aproximada a 30 anos e que tinham, ainda quando bebês, sido adotados por famílias holandesas. Eles se submeteram a um curso rápido sobre seu idioma natal, e passaram por diversos testes que consistiam na pronúncia das consoantes em coreano, que são indescritivelmente diferentes das consoantes que existem no holandês. Além da avaliação da pronúncia, o grupo estudado pela Dra. foi comparado com outros adultos que não tiveram, em momento algum na infância, contado com a língua coreana, e as avaliações de ambos os grupos foram realizadas por coreanos nativos.

Os resultados foram de que, antes de realizarem o curso do idioma, os dois grupos apresentaram o mesmo desempenho, porém, os adultos que foram adotados quando bebês apresentaram resultados mais satisfatórios após receberem instrução da língua através do curso rápido. Não houve sequer diferença no resultado apresentado entre pessoas que tinham sido adotadas com até 6 meses de vida ou com outras que tinham sido adotadas com um ano e meio, período onde a criança já começa a aprender a falar. Ou seja, o estudo leva ao entendimento de que a linguagem é algo muito mais abstrato do que algo prático.

Além do estudo ser algo inovador para o entendimento do aprendizado da língua, também mostra alguns ensinamentos para que os pais possam colocar em prática. Segundo a Dra. Jiyoun Choi, o processo para aprender a língua começa desde muito cedo, sendo que o armazenamento desse conhecimento prático consiste nos primeiros meses, fase em que o indivíduo ainda é um bebê, como foi apontado pelo estudo. Dessa forma, a Dra. Ainda aconselha que os pais falem com o bebê sempre que puderem, pois eles irão absorver e armazenar tudo que os pais disserem, contribuindo para o desenvolvimento da fala do bebê.

Veja também: Mecanismos que envolvem a fala.