A variação encontrada nos ovos das aves

Os pássaros são animais que garantem a sua evolução, graças à mesma habilidade dos répteis, que é colocar ovos fortes. Esse local formado de cálcio é capaz de guardar os filhotes e garantir o seu desenvolvimento até que eles estejam prontos para nascer. Apesar desse abrigo para os filhotes não mudarem, o tamanho e também o formato podem variar muito de acordo com as espécies. Existem ovos quase esféricos, como é o caso das corujas; mais pontudos, como o dos quero-queros ou mais compridos, como o dos albatrozes.

Uma pesquisa recente revelou que o formato dos ovos tem a ver com a habilidade de voar de cada espécie. As aves que voam com habilidade, têm tendência a colocar ovos no formato assimétrico ou ainda mais compridos. Essas características foram detectadas pela primeira vez, através de um estudo recente publicado na revista Nature e realizado por pesquisadores dos Estados Unidos.

Foram estudados mais de 49.000 ovos, de 1.400 diferentes espécies de aves. Essas informações foram encontradas no Museu de Zoologia de Vertebrados, que é apoiado pela Universidade da Califórnia. Os pesquisadores contaram com o auxílio de um programa de computador, feito exclusivamente para essa pesquisa. Nesse programa eles conseguiram identificar esses ovos, analisando alguns fatores como assimetria e tamanho, formando conexões entre as particularidades morfológicas das espécies e o formato do ovo de cada uma.

O programa do computador conseguiu descobrir, uma relação entre o tamanho das asas de cada ave e o formato dos ovos. A dimensão das asas ajuda a entender o que fazem os frangos ficarem ciscando em terra, enquanto  os abutres  conseguem voar a milhares de metros do chão, já que quanto mais desenvolvidas forem as suas asas, melhor vai ser o voo dessas aves. De acordo com esse estudo, o quanto mais esses pássaros voam, os formatos dos seus ovos vão ser mais longilíneos ou achatados.

No caso das corujas, elas não realizam voos longos e somente utilizam esse recurso quando é necessário. Mas no caso dos albatrozes é exatamente ao contrário, já que eles atravessam o Oceano Antártico no mínimo três vezes por ano. Dessa forma os ovos das corujas são quase esféricos, enquanto que o dos albatrozes são mais compactados.