Um estudo revela que os esquilos são organizados na hora de armazenar as suas nozes

O amor que os esquilos têm pelas nozes já serviu de tema inclusive em uma sequência de filmes de animação, A Era do Gelo. Esse alimento apresenta um prazo bem longo de validade, sendo por isso que os esquilos armazenam as nozes e passam os tempos mais difíceis, tendo alimentos para as suas refeições.

Uma espécie chamada de esquilo-raposa, que é encontrada frequentemente na América do Norte, esses animais chegam a armazenar cerca de dez mil nozes anualmente. Para arrumar toda essa quantidade, eles acabam adotando o hábito de separar esse alimento, analisando determinados fatores como a qualidade das nozes, a quantidade e a predileção deles.

Esse estudo foi feito por pesquisadores da Universidade da Califórnia, e segundo eles, esses animais acabam seguindo o método do chunking, que é um sistema humano de memorização, que fragmenta um objeto que possui um tamanho maior, em conjuntos internos menores. Esse método lembra a forma que utilizamos para gravar o número de um telefone, quando memorizamos o DDD, e depois dividimos os números em duas sequências de quatro números. Foi observado que os esquilos adotam esse esquema para não esquecerem o lugar certo, onde estão armazenadas as melhores nozes e também onde elas ficam escondidas, para que nenhum animal esperto, venha roubar os seus preciosos alimentos.

A co-autora da pesquisa, Lucia Jacobs, declarou através de um comunicado, que os esquilos aparentemente usam o método do chunking da mesma maneira que os humanos, quando separam por prateleiras os diferentes tipos de alimentos. Então quando se deseja um determinado ingrediente ou alimento, fica mais fácil saber em qual prateleira procurar.

Os pesquisadores estudaram durante dois anos cerca de 45 animais da espécie de esquilo-raposa, em locais nas proximidades da Universidade da Califórnia. O objetivo era compreender a lógica que esses animais adotam na hora de separar as suas nozes.

Em um dos testes realizados,  os esquilos  receberam dezesseis nozes, divididas em quatro. Primeiramente foram distribuídas as amêndoas, seguidas pelas nozes-pecãs, depois por avelãs e por último pelas nozes. Os demais animais ganharam as suas nozes de maneira aleatória.

Sendo observados através de um GPS, os cientistas puderam acompanhar o lugar de partida do animal, até o local onde eles escondiam o seu alimento. Dessa forma os pesquisadores montaram um mapa, onde era possível determinar a organização das nozes por categoria e encontrar um padrão onde estavam escondidos esses alimentos.

 

Estudos de injeções para enxaqueca tem bons resultados dizem especialistas

Em novos testes de tratamento contra a enxaqueca, uma nova classe de drogas apresentou bons resultados publicados no Journal of Medicine. O tratamento é o primeiro desenvolvido específico da enxaqueca em forma de injeção que previne as dores que quando crônica pode ocorrer até 15 vezes ao mês, com duração de horas a dias em alguns casos.

Alguns tratamentos utilizam medicamentos que servem para tratar outras doenças, como o Topiramato e Divalproato que é anticonvulsivantes, o amitriptilina antidepressivo e o propranolol para a hipertensão.O professor e neurologista do Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP e da Faculdade de Ciências da Saúde do Hospital Albert Einstein, Mário Peres, explica que a enxaqueca tem uma classe própria de cuidados que trás um ponto de vista novo de tratamento.

Hoje os medicamentos da classe do triptanos são utilizados na prevenção, porém não conseguem interromper uma crise que já está ocorrendo.

O estudo é acompanhado pelo professor com a molécula que poderá ter sua injeção aceita no primeiro semestre de 2018 pelo órgão regulamentador de medicamentos dos Estados Unidos e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária no Brasil no segundo semestre de 2018.

Uma das principais vantagens da injeção é a ausência de efeitos colaterais e a tolerância pelo organismo. Os medicamentos atuais podem causar efeitos colaterais como a perda ou ganho de peso e a falta de memória.

Em pesquisas anteriores os pacientes que sofriam de enxaqueca produziam uma quantidade maior de moléculas Calcitonin gene-related peptide (CGRP), que são formadas por 37 aminoácidos descobertos a mais de 30 anos. Elas ficam localizadas no cromossomo 11 e sua produção é através do gene de hormônio. O professor explica que todos temos essa molécula mas os que sofrem de enxaqueca tem uma quantidade maior.

A revisão do estudo publicado em 2014 pela Physiological Review menciona a atividade de dilatação dos vasos da molécula com o aumento do diâmetro dos vasos sanguíneos um mecanismo que tem relação com a enxaqueca. Quando esse alargamento ocorre acompanhado de outras substâncias químicas o circuito de dor é deflagrado. Essa molécula também é mencionada por diminuir a dor. Atualmente existem 4 laboratórios testando as drogas que bloqueiam a CGRP.

 

Estudo mostra que o cérebro tende a ignorar informações em situações de stress

A revista Frontiers in Behavioral Neuroscience reportou recentemente um estudo que mostra que em situações de pressão, como num jogo ou situações estressantes, o cérebro tende a se focar na tarefa principal e deixar de lado outras informações periféricas, como por exemplo, a redução da Inteligência dimensional, percepção de passagem de tempo e de objetos externos.

Os autores do estudo disseram que se motivaram para realizar essa pesquisa por causa de uma sensação que todos os participantes do projeto já tiveram em algum momento da vida. Que é notar como o cérebro deixa de lado as situações irrelevantes para conseguir se mergulhar na tarefa principal. Talvez seja a explicação do porque muitos jovens não perceberem a passagem de tempo na frente de jogos.

Eles realizaram testes tentando verificar a percepção das pessoas em situações de stress num contexto mais espacial ou sequencial. Um dos experimentos contou com 13 voluntários, dentre eles, 6 mulheres e 7 homens, todos com aproximadamente 30 anos de idade. Os participantes assistiram a dois tapes de sexo, uma cena de teor negativo e outra positiva, além disso, viram um vídeo neutro.

Esse teste notou que nas cenas sexo, seja com teor negativo de violência ou o positivo, os voluntários não foram capazes de lembrar a localização de objetos e nem a ordem dos acontecimentos. O mesmo não aconteceu na cena neutra. Eles entenderam que em estados de excitação esse comportamento cognitivo é necessário para aumentar a chance de sobrevivência.

De acordo com Vladimir Melo, mestre em psicologia, esse trabalho por ser comparado com outras pesquisas que avaliam como as pessoas reagem a situações adversas. Ele destaca que esse tipo de comportamento pode ser verificado inclusive nos animais.

Como a pesquisa não teve intuito de analisar a atividade neural, os autores não puderam chegar numa conclusão biologia sobre esse comportamento, mas eles noticiaram alguma suspeitas. Eles disseram que a resposta pode estar no hipocampo do cérebro, local relacionado à memória. Segundo eles, em situações de stress, as memórias de longo prazo não possuem contexto e nem os detalhes periféricos codificados no hipocampo, e essas informações são necessários para o indivíduo se situar no tempo e no espaço.

 

Bradesco dá início à processo sucessório envolvendo Trabuco

O mês de Outubro de 2017 foi marcado por anúncios provenientes do banco Bradesco. Tais informações foram divulgadas através de uma coletiva de imprensa que os gestores da instituição resolveram convocar para esclarecer ao público algumas alterações que ocorreram no quadro de executivos, além de outras que ainda irão se concretizar. A principal novidade diz respeito ao fato de Luiz Carlos Trabuco Cappi ser sucedido por um profissional que já trabalhe na instituição, refutando a hipótese de se buscar alguém no ambiente externo à organização.

Adotada há tempos dentro do cultura do banco, a política de sucessões é algo que tem sido seguido por muitas gerações de executivos da corporação. O principal ponto dessa tradição refere-se ao modo de escolha dos colaboradores que passarão a ocupar postos ligados à direção ou à presidência do grupo, onde costuma-se dar oportunidade a quem já esteja há mais tempo trabalhando na companhia, assim como ocorreu com Luiz Carlos Trabuco Cappi, que está na empresa há mais de quatro décadas e foi galgando postos até chegar a ser o presidente da instituição.

Luiz Carlos Trabuco Cappi preside a organização desde o ano de 2009 e recentemente passou a ser também o presidente do conselho administrativo da empresa. Tal situação decorre do fato do executivo Lázaro Brandão ter anunciado que deixaria o departamento que durante duas décadas liderou. Com isso, o presidente executivo recebeu a informação que atuará de maneira permanente no lugar de seu colega, ao passo que seu cargo será assumido por um outro profissional.

As dimensões da organização exercerá grande influência no que diz respeito ao executivo que será promovido a presidente da companhia, segundo informou Luiz Carlos Trabuco Cappi em um dos momentos da entrevista coletiva. Para ele, o mais importante é que o profissional eleito seja alguém que consiga conduzir as peculiaridades da empresa mantendo sempre a consciência de que se trata-se de uma instituição estruturada de modo bastante complexo e dinâmico.

Há a previsão por parte dos representantes do banco de que em março de 2018 já se tenha esclarecido quem será o gestor a ocupar a presidência. Até lá, entretanto, o atual presidente executivo também terá a missão de presidir o conselho de administração da companhia. Para o Bradesco, contudo, a situação tem caráter transitório, pois conforme estabelece a política do banco, um mesmo executivo não deverá ter entre suas responsabilidades dois ou mais cargos.

O executivo, que será sucedido até 2018, explicou que após os trâmites do processo sucessório terem chegado ao final, sua atuação se concentrará somente nas atividades inerentes ao cargo de presidente do conselho de administração. Ainda durante a entrevista, ele ressaltou que os bancos brasileiros valorizam os momentos de sucessão e respeitam o legado que cada um já conquistou.

Março não foi escolhido por acaso, alertou Luiz Carlos Trabuco Cappi. Segundo o executivo, além do anúncio de quem passará a comandar a instituição, o mês será também a época em que a reunião de assembléia do conselho administrativo ocorrerá. Na ocasião, acionistas da empresa se reunirão para debaterem e estabelecerem os rumos que a organização tomará futuramente.

 

Miséria e alegria de “Capitães de Areia” incomodou governo brasileiro

Um dos livros que retratava a realidade das ruas de Salvador na Bahia, Capitães de Areia, procura apresentar a vida difícil, mas com suas alegrias, de crianças que viviam nas ruas.

Na época em que foi lançado o livro teve uma censura incisiva do governo que em uma fogueira queimou os exemplares considerados simpatizantes do comunismo. Junto com o livro havia outras obras literárias (mais de 1,8 mil) sendo queimadas na frente dos membros da comissão de buscas de apreensão de livros. 90% dos livros queimados na fogueira eram de Jorge Amado, jovem escritor baiano que tratava temas sociais em suas obras.

O regime de governo do país na época não admitiu a obra literária que representava de forma vigorosa uma crítica à desigualdade social e à situação de abandono dos menores de idade nas ruas de Salvador. A história procurou reverter a imagem que os meninos de rua tinham como malandros e delinquentes para pessoas socialmente desfavorecidas, mas que possuíam os seus momentos de alegria como se fossem heróis.

A tentativa do governo de denegrir a obra não teve sucesso nenhum, Capitães de Areia se tornou um clássico nacional 80 anos depois de seu lançamento. Uma história escrita no passado que continua criticando a realidade do presente.

A falta de suporte para as crianças que viviam em uma situação humilhante foi denunciada através da obra literária contra um governo que não fazia o necessário para melhorar as condições de vida da marginalização de jovens.

Apesar dos avanços que aconteceram no país, ainda hoje existem pessoas sem garantias e direitos básicos que têm uma vida semelhante a dos jovens retratados na história de Jorge Amado. De acordo com um levantamento realizado pela ONG Projeto Axé, aproximadamente 15 mil pessoas vivem nas ruas da capital baiana, entre eles 3,5 mil menores de 25 anos.

A romantização dos meninos de rua que são descritos como heróis por Jorge Amado é uma maneira de dizer que ninguém vive apenas um drama ainda que viva na miséria, até mesmo quem está nas ruas tem os seus momentos de alegria.

 

A picada mais dolorosa de um inseto em todo planeta

 

Criada pelo entomologista Justin Schmidt, existe uma escala para conhecer a picada de inseto mais dolorosa do mundo. Essa Escala Schmidt identifica as ferroadas em uma escala de 1 a 4, sendo a mais serena delas a de uma espécie de formiga, chamada em inglês de fire ant ou  formiga de fogo.  Ser picado por uma formiga com esse nome e ela ser classificada na escala como a número um, acaba ficando difícil de imaginar a picada da que é classificada na escala como a número quatro.

O inseto que possui a picada mais dolorosa do mundo é a Pepsis formosa pationii, ou mais conhecida como vespa caçadora. Aqui no Brasil, esse inseto é conhecido por vários nomes, como vespa-de-cobra, mata cavalo, vespão, cavalo-do-cão e come-cobra. Com esses nomes nada atrativos, elas podem chegar a até 5 cm de tamanho e possuem patas com espécies de ganchos, que são usados para se prender nas vítimas, enquanto o seu ferrão de quase 1 cm entra na pele de quem está sendo ferido.

A dor causada por essa picada dura somente três minutos, mas a intensidade dela é tão insuportável, que deixa as pessoas completamente sem reação no primeiro instante. A dor relatada por Schmidt é de que ela é totalmente intolerável, sendo parecida com um choque elétrico no local. A dor é tão forte, que os especialistas aconselham as vítimas a permanecerem deitadas e que gritem por socorro, já que quem for ferroado por esse animal, dificilmente vai conseguir manter alguma coordenação física, e se tentar correr pode se acidentar.

Esses estudos foram publicados em um artigo científico, pelo próprio entomologista Justin Schmidt. Ele também revela que um amigo pesquisador, depois de analisar dez dessas perigosas vespas, acabou sendo picado por uma delas e se deixou ser picado de novo algumas vezes, para saber a intensidade dessa dor. Ele acabou sentindo tanta dor, que não aguentou e desmaiou.

A má notícia é de que essa vespa pode ser encontrada em diversas florestas espalhadas pelo mundo todo, e também aqui no Brasil. Somente na América do Sul, podem ser encontradas mais de 250 espécies variadas dessa vespa. Esse inseto não possui um predador natural, pois o ferrão delas serve para se defender de qualquer outro animal.

 

A variação encontrada nos ovos das aves

Os pássaros são animais que garantem a sua evolução, graças à mesma habilidade dos répteis, que é colocar ovos fortes. Esse local formado de cálcio é capaz de guardar os filhotes e garantir o seu desenvolvimento até que eles estejam prontos para nascer. Apesar desse abrigo para os filhotes não mudarem, o tamanho e também o formato podem variar muito de acordo com as espécies. Existem ovos quase esféricos, como é o caso das corujas; mais pontudos, como o dos quero-queros ou mais compridos, como o dos albatrozes.

Uma pesquisa recente revelou que o formato dos ovos tem a ver com a habilidade de voar de cada espécie. As aves que voam com habilidade, têm tendência a colocar ovos no formato assimétrico ou ainda mais compridos. Essas características foram detectadas pela primeira vez, através de um estudo recente publicado na revista Nature e realizado por pesquisadores dos Estados Unidos.

Foram estudados mais de 49.000 ovos, de 1.400 diferentes espécies de aves. Essas informações foram encontradas no Museu de Zoologia de Vertebrados, que é apoiado pela Universidade da Califórnia. Os pesquisadores contaram com o auxílio de um programa de computador, feito exclusivamente para essa pesquisa. Nesse programa eles conseguiram identificar esses ovos, analisando alguns fatores como assimetria e tamanho, formando conexões entre as particularidades morfológicas das espécies e o formato do ovo de cada uma.

O programa do computador conseguiu descobrir, uma relação entre o tamanho das asas de cada ave e o formato dos ovos. A dimensão das asas ajuda a entender o que fazem os frangos ficarem ciscando em terra, enquanto  os abutres  conseguem voar a milhares de metros do chão, já que quanto mais desenvolvidas forem as suas asas, melhor vai ser o voo dessas aves. De acordo com esse estudo, o quanto mais esses pássaros voam, os formatos dos seus ovos vão ser mais longilíneos ou achatados.

No caso das corujas, elas não realizam voos longos e somente utilizam esse recurso quando é necessário. Mas no caso dos albatrozes é exatamente ao contrário, já que eles atravessam o Oceano Antártico no mínimo três vezes por ano. Dessa forma os ovos das corujas são quase esféricos, enquanto que o dos albatrozes são mais compactados.

 

Transferência de tecnologia entre Brasil e Suécia é discutida

A primeira Semana de Inovação do Brasil na Suécia contou com um grupo de representantes do governo brasileiro. O principal objetivo do encontro foi a discussão da criação de mecanismos inovadores que estimulam a transmissão de tecnologias entre os dois países.

Um dos integrantes da equipe brasileira foi Jorge Arbache, secretário de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. O secretário disse que o mais importante nessa parceria, será os ganhos que o Brasil terá nos campos de tecnologia e inovação. “O Brasil utilizará a tecnologia que está no Gripen, adapta para outros usos, com isso, aplicará a tecnologia para a agricultura, para vários segmentos da indústria manufatureira, setores de serviços e, assim, conseguirá mais competitividade na economia”, ressalta.

O secretário discutiu com o vice-ministro da Empresa Inovação, Niklas Johansson e outros interlocutores suecos, algumas propostas na construção de softwares e mecanismos tecnológicos. O secretário da Seain apresentou as propostas formalmente na Reunião do Grupo de Inovação Industrial Brasil-Suécia, onde serão traçadas as diretrizes. A preparação, planejamento e organização do projeto-piloto com a Suécia, será composto por autoridades brasileiras do BNDES, Finep e Apex Brasil.

O secretário e autoridades brasileiras visitaram a sede da SAAB, uma empresa sueca na cidade de Linköping, onde conheceram o primeiro caça brasileiro em produção. O governo brasileiro contratou a empresa para fabricar o avião utilizado pela Força Aérea Brasileira em parceria com empresas no Brasil. O SAAB 6001 é o primeiro caça a ficar pronto, dos 36 que foram comprados pela Força Aérea. Uma boa parte dos aviões será desenvolvida em conjunto com a Embraer, que já participa ativamente do projeto de transferência de tecnologias entre os dois países. Há previsão de que 8 caças monopostos e 7 caças bipostos sejam construídos no Brasil.

A Embaixada da Suécia informou que atualmente são 220 empresas suecas no Brasil, e a maioria fica situada em São Paulo, que é considerada a segunda maior cidade industrial da Suécia. Essas indústrias empregam sessenta mil pessoas aproximadamente, e movimenta 30 bilhões de coroas suecas por ano, o que representa 11 bilhões de reais. O Brasil é o terceiro país latino-americano mais importante para a indústria sueca e também o maior mercado para suas exportações na região.