Estudos mostram que beber mesmo que socialmente pode causar danos ao cérebro

Image result for beber socialmente

Beber com moderação pode até fazer bem pra saúde e especialistas recomendam a ingestão de uma taça de vinho durante a noite, ou até mesmo um copo de cerveja que ajuda a proteger o coração

Mas não é isso que mostra um novo estudo realizado pela British Medical Journal (BMJ), que diz que até mesmo o consumo moderado de bebidas alcoólicas podem ser prejudicial ao nosso cérebro. De acordo com os pesquisadores, as pessoas que bebem entre 14 e 21 doses de álcool por semana, estão ingerindo o equivalente a 175 mililitros de álcool puro, e tem tendências três vezes maiores de atrofia do hipocampo, que podem causar doenças como Alzheimer comparado, com as pessoas que não ingerem nenhum tipo de bebida alcoólica.

Pesquisas realizadas no Reino Unido pela Universidade de Oxford e College London, observaram um grupo de 550 homens e mulheres que consumiam doses semanais de álcool. Foram analisados os comportamentos sócias dos envolvidos durante o período de trinta anos e ao longo desse período foram estudados as funções cerebrais e as anatomias cerebrais através de exames de ressonância magnética. Os resultados foram que o grupo de pessoas que beberam mais corriam riscos de maior atrofia no hipocampo, que afetam a memória e a navegação espacial, problemas típicos da doença de Alzheimer.

Os números mostraram que 35% dos que não beberam álcool apresentaram o problema, e esse número subiu para 65% nos que consumiram álcool moderadamente e 77% nos que consumiram intensamente. Eles apresentaram também um declínio de fluidez da fala e uma quantidade menor de massa branca no cérebro indicando três vezes mais possibilidades de danos cerebrais.

O estudo foi apenas em caráter observacional que apesar dos resultados os especialistas disseram que não há motivo para entrar em pânico. “Ficamos surpresos como mesmo em quem consumia moderadamente, a tal proteção do álcool mostrada por outros estudos, não surtiu efeito. Os níveis de consumo dessas pessoas eram o que muitos consideram ‘beber socialmente’.”, conta a professora de psiquiatria na Universidade de Oxford Anya Topiwala, coautora do estudo.

As pessoas que consomem bebidas não costumam ingerir de uma vez só e o estudo mostrou que eles consumiam por volta de 30 unidades semanalmente, sendo que cada uma contém 10 mililitros de álcool puro.

Existem outros fatores que impactam nas funções cerebrais, que apesar dos estudos terem mostrados resultados negativos na ingestão de álcool existem outros fatores não considerados no estudo. “Existem tantos outros fatores de estilo de vida a considerar, entre eles a alimentação. A ingestão de fibras, frutas e vegetais está relacionada a um menor declínio cognitivo. Atribuir doenças degenerativas apenas às bebidas alcoólicas é algo muito limitado.”, informa o diretor do programa de epidemiologia cardiovascular da Universidade de Harvard, Eric Rimm.

Para ele se você beber com moderação, não deve se preocupar, já que estudos anteriores mostraram que o consumo com moderação reduz de 30% a 40% o risco de diabetes tipo 2 e outros benefícios cardiovasculares.

Segundo a professora de neurologia da Universidade de Bristol Elizabeth Coulthard, acha que um estudo observacional não pode provar que o álcool causa danos cerebrais. Então a pesquisa tem sua importância. “Até que tenhamos mais estudos, a boa notícia é que, neste estudo, a baixa ingestão de álcool não foi associada ao declínio cognitivo. Espero que esta pesquisa contribua para uma maior compreensão dos verdadeiros limites seguros para o consumo de álcool.”  afirma a professora.

Veja também: Relaxante muscular é eficaz no tratamento do alcoolismo

 

Calvície pode ter relação com as células-tronco

Resultado de imagem para calvice

Cientistas descobriram que as células-tronco da pele e as células-T reguladoras, podem ter relação com a calvície. Essa descoberta abre portas para novos tratamentos da doença

A descoberta feita de modo acidental ocorreu durante uma investigação das células-T reguladoras na saúde da pele e durante a pesquisa foi notado que essas células participavam de modo ativo no processo de crescimento do cabelo. Chamadas também de células Tregs, as células-T tem uma relação com o controle de inflamações.

Neste estudo, os cientistas norte-americanos da Universidade da Califórnia, em São Francisco, descobriram que as Tregs ativam as células-tronco da pele para que ocorra o crescimento dos cabelos. Antes, os cientistas acreditavam que as células-tronco faziam esse processo sozinhas.

“Isso significa que se as células-T não estão ativadas ou tem algum defeito, elas podem influenciar na capacidade das células-tronco de regenerar os folículos capilares, levando a calvície” diz o autor principal da pesquisa, Michael Rosenblum.

Rosenblum e sua equipe estavam na realidade fazendo experiências sobre a pele que necessitava ser retiradas as Tregs de ratos e após rasparem os animais, observaram que os pelos não cresceram novamente, e assim acabaram fazendo a descoberta acidentalmente.

No estudo aprofundado eles realizaram exames de imagens que revelaram que as células-T estão conectadas as células-tronco nos folículos capilares que regeneram os pelos. Quando o folículo entra em regeneração, o número de Tregs chega a triplicar.

A alopecia areada, é uma doença autoimune que ocorre normalmente a partir dos 20 anos de idade e atinge cerca de 50% dos homens, fazendo com que o cabelo caia em grandes quantidades. Para os pesquisadores a falta de Tregs é a causa da alopecia, que é tão comum quanto outras doenças como a artrite reumatoide e a diabetes tipo 1.

Estudos anteriores mostraram que os genes associados a alopecia estão relacionados a Tregs, segundo Resenblum, que aponta que os tratamentos que estimularam as células-T se mostraram eficazes contra a doença. “Pesquisas mais avançadas precisam ser feitas para que sejam criados melhores tratamentos para as condições mais comuns, como a calvície masculina” especula Rosenblum.

O pesquisador também quer explorar se a cicatrização de feridas tem alguma relação com a Tregs, já que as células-tronco em folículos têm ligação na regeneração da pele depois de uma lesão “Assim, o que descobrimos é que as células-tronco e as células imunes têm que trabalhar juntas para tornar a regeneração possível.”

A alopecia androgenética mais conhecida como calvície masculina, atinge um a cada dois homens no mundo, e atualmente existem apenas duas formas de tratamento que é feito através de medicamentos ou a partir do implante capilar, que é um processo cirúrgico.

Veja também: Como é feita a cirurgia de implante capilar

 

Flavio Maluf reporta como empreendedor pode lidar o comodismo dentro da empresa

A acomodação de alguns funcionários é uma questão que sempre gera reclamações por parte dos empresários. Na verdade, por ser o dono do negócio e querer que ele cresça cada vez mais, há casos em que o empreendedor acaba se excedendo na avaliação feita a respeito de alguns dos seus colaboradores. Para evitar isso, segundo o que cita o executivo Flavio Maluf, presidente das empresas Eucatex, é interessante que o empresário conheça bem seus funcionários antes de taxar alguns deles de acomodados.

Isso porque, é comum que as pessoas tenham objetivos diferentes. Diante disso, o que motiva um a evoluir dentro da sua carreira, nem sempre o fará com os outros. Isso fica claro quando, por exemplo, um funcionário, apesar de ter qualificações e oportunidades, não demonstra interesse em assumir algum cargo de gerencia ou supervisão dentro da empresa em que trabalha. Situações assim são naturais, especialmente pelo fato de que algumas pessoas não têm o mesmo espírito empreendedor que o seu chefe, por exemplo.

No entanto, como reporta Flavio Maluf, isso não significa necessariamente que o indivíduo deve ser taxado de acomodado. Ele pode simplesmente estar confortável com a posição que ocupa. Toda organização precisa de funcionários que se sintam à vontade com o cargo que têm (independentemente de ser de gerência ou com um nível de exigência mais baixo) e desempenhem suas funções de maneira eficiente.

Até porque, uma empresa em que todos os seus colaboradores almejem ocupar cargos de liderança, tende a se tornar praticamente um “campo de batalha”. Isso porque, como noticia o empresário Flavio Maluf, nenhuma organização que tenha funcionários com esse perfil consegue atender às expectativas de todos eles, afinal, os cargos de gerência e supervisão, até mesmo em grandes empresas, sempre são limitados.

E isso ocorre não apenas por uma questão organizacional, mas também devido ao fato de que não é tão simples encontrar pessoas com a capacidade de liderar equipes no sentido de fazê-las alcançar grandes metas, seja a elevação do nível de eficiência do trabalho realizado ou o aumento da produtividade. Ou seja, mesmo que um determinado funcionário tenha interesse em ocupar um cargo de liderança, isso não significa que ele está realmente preparado para isso, lembra Flavio Maluf.

Por isso, embora ter funcionários que queiram evoluir juntamente com a organização e sonhem em assumir posições de liderança seja algo extremamente positivo, também é necessário ter aqueles que se consideram satisfeitos com o cargo que ocupam e não se sentem confortáveis em assumir o risco de tentar escalar novos patamares. Isso facilita inclusive o trabalho (do empreendedor) de detectar quem pode realmente se tornar um gerente ou supervisor eficiente, pois os “acomodados” fazem com que os objetivos daqueles que querem evoluir para outro nível se destaquem.

Desse modo, antes de rotular um colaborador de acomodado, o empreendedor deve tentar conhecê-lo bem, o que é possível através de muita conversa, e analisar se ele desempenha com eficiência a função que ocupa, pois todos os cargos, inclusive os mais “simples”, são relevantes para o bom funcionamento da organização, informa Flavio Maluf. Ou seja, é crucial que o empresário compreenda que é natural que as pessoas tenham metas profissionais diferentes, já que isso lhe permitirá fazer uma correta valorização dos seus colaboradores, sejam eles ocupantes de cargos de liderança ou não.

Fonte

Placentofagia está sendo uma opção para as mulheres

Placentofagia nada mais é que a ingestão da própria placenta após o parto, com o objetivo de aliviar sintomas de depressão vividos por muitas mulheres e também para ajudar a aumentar a produção de leite. Além de tudo isso, a prática também permite combater o cansaço e repor os nutrientes perdidos durante o parto.

Esse processo existe a algum tempo sendo mais comum nos Estados Unidos, se tornando cada vez mais popular no Brasil, onde a prática pouco conhecida ainda é considerada estranha. Somente a mais ou menos 2 anos a prática se tornou verdadeiramente uma opção para as mulheres. Ainda sem comprovação científica sobre os benefícios da ingestão da placenta, a prática é feita por algumas mulheres por possuir um alto teor de ferro, vitamina B6 e B12.

A doula Pamella Souza com a enfermeira Raquel Carvalho, fizeram um curso de imersão na medicina placentária com uma chilena que se tornou especialista no assunto. Desde então elas trabalharam com a manipulação das placentas. “Para encapsular a placenta, o órgão precisa ser desidratado por algumas horas e depois triturado. Para que o processo funcione sem riscos de contaminação e perda dos nutrientes, a placenta deve ser congelada em até cinco horas após o parto” explica Pamella.

Ao ser entregue para que seja feita a manipulação é escorrido o excesso de sangue e depois a placenta é cortada em pedaços pequenos. Logo após ela é colocada em uma máquina de desidratação e finalmente triturada e colocada nas cápsulas que chega a render de 80 a 120 cápsulas. “A mulher pode consumir a placenta por mais tempo, ela desidratada ela tem validade de dois anos, além de ter maior discrição no consumo, podendo ser consumida como se fosse um comprimido de vitamina”.

Por outro lado o ginecologista e obstetra Waldemir Rezende membro do corpo clínico dos hospitais Samaritano, Albert Einstein e São Luiz diz que: “A placenta é um órgão do bebê, pois ela só existe no período da gestação. Ela é rica em ferro, vitamina B12, hormônios (estrógeno e progesterona), entre outros nutrientes”. A doutora acredita que as cápsulas de placenta após serem ingeridas as mulheres obtém o efeito do placebo, por isso a prática deve ser melhor estuda.

“Se pusermos farinha o resultado pode ser o mesmo se a paciente não diferenciar visualmente as cápsulas”, e diz que: “Ingerir a placenta in natura, acredito que possa trazer mais benefícios e maior absorção de nutrientes e minerais, principalmente o ferro”.

A Alemanha possui um grupo que estuda o assunto e dizem que os primeiros resultados apontaram que a desidratação da placenta faz com que haja perda hormonal. Na forma in natura foram encontradas maior concentração de hormônios e baixo risco de intoxicação, os estudos continuam.

Alguns hospitais não se responsabilizam no armazenamento da placenta ficando armazenadas até a alta hospitalar.

Veja também as diferenças entre parto normal e parto cesárea

Companhia aérea do Reino Unido, British Airways, retorna voos após problemas no sistema de TI

A companhia aérea British Airways (BA) do Reino Unido, disse que seus sistemas de TI estão de volta e um cronograma de voos completo está programado para iniciar agora em junho nos aeroportos de Londres, onde milhares de passageiros ficaram presos por causa da avaria.

Enquanto os especialistas se aprofundaram em descobrir exatamente o que deu errado no sistema de TI utilizado pela British Airways, a companhia pediu desculpas e disse que estava trabalhando para reunir viajantes e suas malas. “Lamentamos muito a frustração e inconveniência que os clientes tiveram durante o fim de semana do feriado e agradecemos a paciência e a compreensão”, disse a British Airways em um comunicado.

A companhia aérea disse anteriormente que não tem “uma visão completa” do que causou a falha catastrófica de TI que derrubou seus sistemas em 170 aeroportos em 70 países diferentes. O impacto do incidente, que começou no sábado (dia 27 de maio), continuou com um terceiro dia de interrupção na segunda-feira (dia 29 de maio), feriado nacional no Reino Unido. Pelo menos 75.000 clientes foram afetados.

“Nesta fase, sabemos que houve uma onda de energia excepcional que derrubou nossos sistemas de TI, derrubando todos os nossos sistemas de comunicação de voo, bagagem e cliente”, disse Alex Cruz, CEO da British Airways, em comunicado. “Parece ter sido tão forte que tornou o sistema de restauração ineficaz.”

BA foi forçada a cancelar voos do sábado fora dos aeroportos de Gatwick e de Heathrow de Londres. Em Heathrow, voos de curta distância continuaram a ser afetados, com cancelamentos que afetaram os voos para Estocolmo, Copenhague, Marselha, Viena, Amsterdã, Milão e cidades em todo o Reino Unido. Os clientes queixaram-se na mídia social que eles ainda estavam para ser reunidos com a sua bagagem.

Cruz disse: “No momento, não temos um quadro completo do que aconteceu. Nosso foco tem sido em colocar as coisas para os clientes afetados. Quando esse processo estiver completo, vamos realizar uma investigação exaustiva sobre as causas deste incidente – e fazer o que for necessário para garantir que não possa voltar a ocorrer.”

Cruz disse que 95% dos voos voltaram ao normal. Anteriormente, ele disse que não há “nenhuma evidência de que existisse um ataque cibernético”, e que nenhum dado de cliente foi comprometido.

Aqueles que escolheram mudar suas datas de viagem poderão escolher qualquer data alternativa dentro dos próximos seis meses. A BA também prometeu honrar as suas obrigações ao abrigo das regras de compensação da UE. A British Airways prometeu reunir-se com clientes irritados – embora tenha advertido que poderá demorar algum tempo.

“Embora já tenham sido despachado muitas malas para o aeroporto correto, ainda há algum trabalho a ser feito e sabemos que ainda há um número significativo de clientes que ainda não receberam sua bagagem”, afirmou.

Fórum Respostas Capitais do jornal ZH de Duda Melzer convida o presidente da Tramontina

No início do mês de maio, ocorreu a 9ª edição do Fórum Respostas Capitais, um encontrou organizado pelo jornal Zero Hora, uma das empresas de mídia que pertencem ao Grupo RBS, do empresário Duda Melzer. Para essa edição, o grande convidado do evento foi Clóvis Tramontina, o presidente da empresa Tramontina, o qual foi apresentado pela jornalista Marta Sfredo.

Durante a sua participação no evento, Clóvis Tramontina falou um pouco mais sobre a sua empresa e o ganho de mercado que ela tem conquistado no exterior. Além disso, o empresário também comentou sobre o atual momento de crise da economia brasileira. De acordo com Clóvis, é impossível negar que a situação do país é bem difícil, com números que ultrapassam a marca dos 14 milhões de desempregados. Contudo, ele ressalta que o Brasil ainda tem muito a crescer logo que superar esse momento conturbado, tendo em vista que, juntamente como a China, Índia e Indonésia, o Brasil é um dos países com maior potencial de aumento na classe média.

Ainda em relação a crise, o empresário explicou sobre algumas das medidas tomadas pela Tramontina com o intuito de evitar demissões durante esse período difícil enfrentado pela economia nacional. Segundo ele, os funcionários são o que existe de mais importante em uma corporação, pois esta é feita por pessoas e não pelos seus produtos. Portanto, para não mandar colaboradores embora, a empresa optou por reduzir as suas margens de lucro.

Duda Melzer, como presidente do Grupo RBS, marcou presença na 9ª edição do Fórum Respostas Capitais, e utilizou as suas redes sociais para destacar a importância dos temas levantados durante o evento.

O Fórum Respostas Capitais foi criado em 2015 com o objetivo de trazer convidados que possuem papéis de destaque na economia do país. Realizado a cada dois meses, o evento já entrevistou, além de Clóvis Tramontina, outros nomes importantes como o presidente das Lojas Renner, José Galló, o CEO do Estaleiro Atlântico Sul, Harro Burmann e a dona das Lojas Tok, Clenir Wengenowicz, entre outros.

O empresário Duda Melzer é formado em Administração de Empresas pela PUC-RS, e iniciou sua carreira nos Estados Unidos, local onde também cursou um MBA na Universidade de Harvard. Logo ao assumir a presidência do Grupo RBS, substituindo o seu tio, ele já demonstrou ser um empreendedor com ideias inovadoras e revolucionárias, que tornaram a empresa mais moderna e de acordo com as novas tendências de comunicação.

Uma das grandes honras da carreira de Duda Melzer foi ter sido escolhido como um dos líderes globais do famoso Cambridge Institute for Family Enterprise, o que fez dele um dos únicos brasileiros a conquistarem esse reconhecimento internacional. Contudo, o empresário tem outras várias razões para se orgulhar, como por exemplo, por ter ganho o título de Empreendedor do Ano na categoria Family Businnes do prêmio Ernst e Young.

Para completar, a grande experiência de Duda Melzer como empreendedor da área de comunicação tem rendido inúmeros convites para participar de palestras e encontros sobre o tema, tanto em universidades como também em eventos corporativos.

 

 

Narguillé pode transmitir doenças e causar câncer

Image result for Narguillé

Um tipo de cachimbo de água conhecido por tradições nas regiões do Oriente Médio, a Narguillé pode transmitir doenças contagiosas e causar câncer

A Organização Mundial da Saúde alerta para os tabacos usados nas Narguillés com essências que podem ter 4 vezes mais nicotina, 11 vezes mais monóxido de carbono e até 100 vezes mais alcatrão que o cigarro. “Tudo aquilo que falamos dos riscos do cigarro comum, que causa doenças cardiovasculares, doenças precoces e cânceres, tudo isso também acontece com o uso do Narguilé”, ressalta o geriatra Rychard Arruda. Uma rodada de Narguillé chega a se igualar a fumar 100 cigarros de uma só vez.

Para fumar a Narguillé é necessário o uso de um carvão que acaba sendo inalado e também é prejudicial a saúde do fumante. A Narguillé funciona da seguinte maneira: é colocado água em um recipiente de vidro, logo a cima é colocado a essência envolvida em um papel alumínio e em cima é colocado carvão em brasa que faz com que a água esfrie formando um purificador produzindo a fumaça. Mas não se engane, pois apesar de “purificar” a água ela não elimina as toxinas presentes na essência e no carvão em brasa.

Existe também o risco de transmissão de doenças contagiosas como a herpes labial, hepatite C e até tuberculose, já que a piteira onde se fuma é compartilhada com várias pessoas ao mesmo tempo.

A venda da Narguille e da essência é permita a maiores de 18 anos, como também é com o cigarro e as embalagens das essências contêm o alerta das doenças, mais isso parece não ser o bastante pra quem faz o uso. As pessoas precisam ficar atentas na procedência dos itens, pois em Rio Verde, sudoestes do estado foram apreendidos 46 caixas de tabaco vindas do Paraguai sem nenhuma condição de comercialização, transportadas em baixo de caixas de brinquedos em uma caminhonete. O motorista preso em flagrante disse que a carga era para o estado de Goiânia, onde seria comercializada.

Um estudo associou o uso de Narguillé com uma das causas do câncer de pulmão e outras doenças periodontal e respiratórias. Após ficarem 45 minutos expostos a fumaça da Narguillé os batimentos cardíacos aumentam e a exposição a metais pesados tóxicos. Uma pesquisa sobre tabagismo realizada pelo INCA em parceria com o IBGE em 2008 mostrou que no Brasil existem mais de 300 mil consumidores, entre esses números estão jovens entre 13 e 15 anos que dizem que o consumo coletivo socializa as pessoas. Esse número chega a 93,3% em São Paulo, 87,3% em Campo Grande e Vitória 66,6% dos estudantes.

No mesmo estudo foi contatado que os estudantes fazem uso de alguma substancia derivada do tabaco e de 60% a 80% fazem uso do Narguillé.

Veja também sobre Herpes Labial

 

O que você precisa saber sobre o Fluoreto

 

“Dentistas afirmam que beber fluoreto ajuda a limpar os dentes e te protege das cáries”. Várias cidades por todo mundo vem despejando essa substância no seu sistema de distribuição de água esperando medicar indiscriminadamente a população por meio do tratamento de água. A história oficial do fluoreto soa maravilhosa: “Beba e proteja seus dentes das cáries”, é o que dizem e parece ser uma bela história.

Mas há outro lado dessa história no qual você nunca foi informado a respeito. E começamos com um incrível e verificado fato que quase todo o fluoreto despejado no sistema de distribuição de água não é nenhum tipo de fluoreto que existe na natureza. Na verdade é uma combinação de ácido hexafluorosilicato e silicofluoreto de sódio. Esses dois produtos químicos são considerados altamente tóxicos e são classificados como descarte tóxico de alto risco de contaminação e quando armazenados para transporte são classificados como veneno e somente trabalhadores vestidos com roupas de proteção industrial pode fazer seu manuseio.

Afinal o que seria então ácido hexafluorosilicato e silicofluoreto de sódio? De onde eles vêm?

Essa história inicia com as empresas de minerio de fosfato. O fosfato é um mineral de grande relevância para produção dos fertilizantes e ele é obtido de rochas de fosfato e retirado de entrepostos naturais espalhados pelo mundo que são refinadas para produção do ácido fosfórico. Essa substância é um dos principais compostos dos refrigerantes carbonatados, de Cola como a Pepsi.

O ácido fosfórico é comparado ao ácido de bateria, sendo considerado um líquido altamente tóxico e estudos já mostram que beber refrigerante pode causar pedra nos rins e perda de densidade óssea. O fosfato constantemente com altos indicadores de fluoreto, sendo esse número aproximadamente 40.000 partes por milhão ou ate 4% do minério duto.

Para remover o fluoreto, soma-se ácido sulfúrico a uma lama na qual sua composição é de fosfato e água, o que acarreta a nebulização do fluoreto gerando compostos gasosos intensamente tóxicos como o fluoreto de hidrogênio e o tetrafluoreto de silício. Esses resíduos eram liberados nas chaminés durante o processo do fosfato. Porém as fazendas próximas sofrem perdas devastadoras que vão do gado as plantações e o motivo era envenenamento por fluoreto.

Então foi criada uma lei para conter com essa devastação ambiental, as empresas de minério de fosfato, criaram uma forma de reter os vapores químicos do fluoreto tóxico, assim eles não seriam mais propagados no ar evitando essa devastação. Foram instalados purificadores úmidos que capturavam os fluoretos tóxicos impedindo que fossem liberados no meio ambiente.

Agora o fluoreto tóxico é capturado desses purificadores, embalados e despachados para sua cidade e despejados no sistema de fornecimento de água, contaminando a água que bebemos e consequentemente contaminando milhões de pessoas. Isso se chama fluoretação da água, que parece ser uma coisa boa, que evita cáries e no final nada mais é que uma contaminação por resíduos tóxicos descartados pelas industrias.

Veja também sobre o flúor da pasta de dente

Dicas para quem pretende viajar em tempos de alta no dólar- com Marcio Alaor, do BMG

Os últimos acontecimentos no cenário político brasileiro acarretaram um ambiente de instabilidade para o mercado cambial. Quem pretende viajar ou já tem compromisso marcado no exterior e ainda não adquiriu moeda estrangeira pode ser surpreendido pelo valor do dólar. Por conta das turbulências e consequente imprevisibilidade no valor da moeda, algumas casas de câmbio deixaram de vender dólar entre os dias 18 a 20 de maio. Já algumas outras, por medo de perdas com uma possível alta inesperada, fixaram o preço na casa dos R$ 4 reais. No último dia 26 de maio, a moeda estadunidense estava cotada em R$ 3,26, reporta o executivo do Grupo BMG, Marcio Alaor.

Tenho viagem marcada e ainda não comprei dólar. E agora?

A recomendação dos especialistas é nunca deixar para adquirir dólares na última hora. Contudo, se você está passando por esta situação, a estratégia é minimizar o prejuízo. Mesmo em dias instáveis existem períodos melhores ou piores para a compra da moeda estrangeira. Neste caso, é necessário ficar online o tempo todo, analisando cotações e acompanhando as notícias do mercado financeiro, informa o executivo do BMG, Marcio Alaor. Uma outra possibilidade de redução de perdas é reduzir os gastos durante a viagem. Diminuir os gastos com compras e restaurantes são opções viáveis.

E o cartão de crédito? Vala a pena utilizá-lo?

Quando são efetuadas compras em dólar no cartão de crédito, o cliente só saberá o quanto irá pagar no momento em que a receber a fatura, pois o valor de cotação não é referente ao dia da compra, mas ao dia em que a fatura é fechada. Diante do cenário oscilante do mercado cambial, a recomendação é não utilizar o cartão – já que não é possível antecipar o valor do dólar para daqui a 30 dias, noticia Marcio Alaor, do BMG.

Gostaria de viajar em breve. Melhor esperar?

Quem deseja, mas não tem pressa, a recomendação é agir com cautela. Miguel de Oliveira, diretor da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) esclarece: “Não recomendo que compre agora. Não adianta sair correndo. Em alguns momentos as coisas vão se normalizar, mas tem risco de as medidas e reformas (trabalhista e previdenciária) não serem aprovadas. Aí o dólar pode disparar”. Ainda conforme reporta Marcio Alaor, do Grupo BMG, uma dica importante é não comprar todo o valor de uma vez. Caso você necessite adquirir US$ 1.500 para uma viagem daqui a 6 meses, efetue três compras de US$ 500 a cada 2 meses.

Por que o preço do dólar turismo é maior que o do dólar comercial?

Dentro do valor que o turista paga ao adquirir a moeda estadunidense existem custos administrativos referente a transações cambiais como operação e entrega. À esses montante incide o imposto sobre operações financeiros (IOF), que pode ser de 1,1% para compras à vista e 6,38% no cartão de crédito. De forma complementar, ainda existe o lucro da corretora, reporta o executivo do Grupo BMG, Marcio Alaor.

 

 

O Global Times da China teria aplaudido “vitória” após fontes da CIA serem mortas

Um influente jornal estatal aplaudiu os esforços anti-espionagem da China no dia 15 de maio, depois que o New York Times informou que Pequim havia matado ou aprisionado até 20 fontes da CIA, prejudicando as operações de espionagem dos EUA.

Os chineses mataram pelo menos uma dúzia de pessoas que forneceram informações à Agência Central de Inteligência entre 2010 e 2012, desmantelando uma rede que estava há anos em construção, informou o New York Times. O documento citou dois altos funcionários dos EUA.

O Global Times da China, publicado pelo Diário do Povo, disse em um editorial em suas edições em chinês e em inglês que, se fosse verdade, teria sido um triunfo para a China. “Se este artigo está dizendo a verdade, gostaríamos de aplaudir as atividades anti-espionagem da China. Não só a rede de espionagem da CIA foi desmantelada, mas Washington não tinha ideia do que aconteceu e qual parte da rede de espionagem tinha dado errado” disse. “Pode ser tomada como uma vitória arrebatadora. Talvez isso signifique mesmo que a CIA faça esforços para reconstruir sua rede de espionagem na China, sendo assim ela poderia enfrentar o mesmo resultado”.

No entanto, o documento amplamente lido, conhecido por sua forte posição nacionalista, disse que uma parte do relatório era falsa. “Quanto há uma fonte sendo atirada em um pátio do governo, essa é uma história puramente fabricada, provavelmente um pedaço de imaginação americana baseada na ideologia”, disse.

Hua Chunying, a porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, disse que não está “ciente” da situação descrita no relatório do Times. Ela acrescentou: “Posso dizer que as autoridades de segurança nacional da China estão seguindo seu mandato legal para investigar o pessoal das organizações e ações que prejudicam a segurança e os interesses nacionais da China”.

Enquanto o site do New York Times está bloqueado na China, como o de muitas organizações de notícias ocidentais, a história tem sido amplamente discutida e seu conteúdo foi coletado em outros meios de comunicação chineses, especialmente pelos portais de notícias online.

A história tem atraído milhares de comentários na plataforma Weibo, a versão chinesa do famoso Twitter. Os internautas expressaram em grande maioria estarem alegres que o anel de espionagem tenha sido supostamente quebrado. Os chineses pareceram estarem aliviados com as recentes notícias, dizendo: “Ponto para a segurança nacional que conseguiu finalmente acabar com esses traidores de espionagem”, escreveu um usuário do Weibo. “Bem feito! Parabéns para a China”, escreveu outro.

A CIA e o FBI se recusaram comentar qualquer informação sobre o New York Times ou sobre a notícia publicada no jornal, o que aumenta ainda mais o mistério por de trás dessa especulação.